Istituto de Arqueologia

Coimbra

23 e 24 de maio 2008

 

Uma formação organizada pelo

 

Formação em Arqueogeografia

“Leitura das formas planimétricas”

 

 

Formação animada por Gérard Chouquer, CNRS

(formação em francês com power point em português)

 

O tema = como ler e classificar as formas planimétricas.

O objectivo metodológico : porque não podemos eximir-nos à leitura das formas.

 

 

Primeiro dia

 

Objectivo = demonstrar que os historiadores e os arqueólogos não “vêem” a realidade.

 

As formas das paisagens do Alentejo

 

Introdução

- quando as formas existem nas historias , geralmente elas resumem-se à centuriação romana.

- mas a maior parte das vezes, não existem : históoria pode ser escrita quase sem formas !

- quem faz a leitura das formas ? O historiador ? o geógrafo ? o arqueólogo ?

 

Documentos de estudo (4 grupos trabalhando simultanemente)

- o parceláario em torno de cidade de Beja

- o parceláario de Marmelar

- o parceláario em torno da villa de São Cucufate

- o parceláario de Vales Mortos

 

Iniciação à leitura das formas : evidência arqueogeográfica

- formas hiydro-parcellarias

- formas geométricas

 

As formas visiveis e as formas invisiveis

- diferentes nivéeis de leitura

- A classificação seguinte as niveisníveis de evidência de interpretação : formas imediatas (= sem mediação = imediatementeimediatamente lisíiveis) e formas mediatas (que tem necessidade de mediações temporais e espactiais)

Mas oNo segundo dia da formação demonstrará faremos a demonstração de que as formas imediatas não existem, e que esta classificação é um artificio.

 

A classificação possível :

- modelos de planificação : nova proposição historiográfica

- modelos de envolvimento por agregação : os critéerios de distinção

- evolução no modo de auto-organizsação de todas as formas.

 

Segundo dia

 

Objectivo = demonstrar que quase nunca vemos formas de origem mas só o que o tempo faz das formas.

 

Dinâmica da centuriação romana

 

Documentos de estudo

- a fotografia da Istria (Italia)

- a maappa da região de Padova (Italia)

- a mappa de Bollène « Bartras » na centuriação de Orange (França)

 

Os funções da centuriação en relação com formas

assignatio, ager vectigalis

 

Divisões geométricas e territóorios : uma relação descontinua

Os casos de Orange (Narbonnaise) e Merida (Lusitanie)

 

As centuriações não são romanas, mas medievais, modernas e contemporâneas

 

 

 

 

 

 

O curso, aberto a 30 pessoas, será ministrado no Instituto de arqueologia da Faculdade de letras da Universidade de Coimbra — Palácio de Sub-Ripas

 

Preço : Público em Geral: 100 €

Estudantes : 40 €

 

As inscrições, acompanhadas de cheque dirigido ao Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto , Fac. Letras Universidade de Coimbra, devem ser feitas por email para : ceaucp@gmail.com ,até dia 30 de Abril.

 

Juntamente com a inscrição devem ser enviadas

Nome (nom) :

Instituição (institution) :

Grau académico (degré académique) :

NIF (número de identificação fiscal) :

 

Com vista à elaboração dos respectivos diplomas e  recibos, a entregar no momento de levantamento da documentação.

 

NOTA: A aceitação de inscrições será feita por ordem de recepção

 

 

Accès privé