4e CONGRÈS INTERNATIONAL « MEDIEVAL EUROPE »

 

 

seccão  «  ARCHÉOGÉOGRAPHIE - ARQUEOGEOGRAFIA  »

 

Secção organizada pelo GDR 2137 du CNRS (« Traité d’archéogéographie ») et l’Université de Paris I-Sorbonne (France) e pelo Centro de Estudos Arqueológicos das Universidades de Coimbra e Porto (Portugal).

 

Comité de leitura

Dr Gérard Chouquer, CNRS, rédacteur en chef d’Etudes Rurales (EHESS, Collège de France, CNRS)

Prof. Maria da Conceição Lopes (Universidade de Coimbra)

Prof. Ricardo Gonzalez Villaescusa (Universidade de Reims)

Prof. Jean-Loup Abbé (Universidade de Toulouse)

Dr Hélène Noizet, maître de conférences (Universidade de Paris I)

Dr Sandrine Robert, arqueóloga (SDAVO)

Dr Cédric Lavigne, Investigador contratado (Universidade de Coimbra)

 

A arqueogeografia é uma disciplina em processo de formalização; trata  da geografia e das dinâmicas históricas dos espaços e dos meios das sociedades do passado. É uma disciplina da memória e da transmissão das formas.

A arqueogeografia propõe-se esclarecer os contributos consideráveis da arqueologia preventiva, dos métodos de teledetecção e dos métodos de análise das formas para o conhecimento das múltiplas heranças que se manifestam nas formas mais recentes. Sendo que, quase sempre, este conhecimento é previamente indispensável na produção de estudos com carácter periodizado.

Ao grande medievalista Rober Fossier (1982),  se deve a mais antiga ocorrência do termo Arqueogeografia.  Porém, a formalização da disciplina só ocorre a partir de 2000 com o projecto Traité d’archéogéographie, incrementado pelo GDR 2137 “Tesora” do CNRS.

Actualmente, a arqueogeografia observa e anota aplicadamente o animado e frutuoso diálogo que se estabeleceu entre estudiosos da antiguidade, medievalistas, modernistas, paleoecólogos e geógrafos tendo em vista à concepção de uma disciplina de convergência e de promoção ou recomposição dos objectos. A actual força das proposta dos arqueogeógrafos reside, justamente, no facto de eles estudarem simultaneamente objectos periodizados (por exemplo projectos e realizações sociais datadas) e objectos de longa duração (saídos dos efeitos das heranças e da transmissão das situações mais antigas).

 

Esta sessão de Medieval Europe convoca todos os que possam propor estudos sobre a dinâmica dos espaços geográficos, dos meios e das paisagens em diferentes escalas espaciais e temporais ou segundo novas metodologias.

Serão particularmente desejáveis estudos sobre os seguintes temas

 

Novas técnicas e metodologias em matéria de cartografia e de estudo das formas

 

- conhecimento dos documentos antigos

- técnicas de prospecção e de registo

- métodos cartográficos

- renovação da topografia histórica

-contributos dos SIG.

 

Modalidades de transmissão e de formação das heranças no domínio das planimetrias

- Emergência da planimetria durante a proto-história e influência desta planimetria na posteridade

- dinâmicas comparadas entre as redes viárias, as tramas parcelares e as redes de povoamento: dinâmicas paralelas ou divergentes ?

- resiliência das formas e  das redes e papel dos passados nas problemáticas actuais do desenvolvimento.

 

Modalidades e formas da planificação rural e urbana

- reflexão sobre o conceito de planificação

- modelização das formas planificadas; quais os modelos para que duração ? 

- novidades em matéria de limitações e de centuriações ; relação entre os conhecimentos arqueológicos ; métodos de estudo; regiões de novo submetidas a inquérito,

- especificidades das formas da planificação medieval

- morfologia urbana : métodos e resultados.

 

Cartografia das relações entre as sociedades e os meios : que mediações?

- contributo da cartografia para os métodos geo e eco-arqueológicos : arqueologia fluvial, formas geológicas e pedológicas, arqueologia vegetal, etc.

- os nomes dos lugares como mediação entre as sociedades e os seus meios

- a aplicação dos conceitos e  dos métodos da ecologia da paisagem aos territórios antigos

 

Métodos de estudo dos territórios e das circunscrições históricas

- territórios circunscritos e territórios em rede; mosaico de pontos e redes

- evolução das unidades e das circunscrições no tempo

- o caso dos  « grandes domínios », da Antiguidade na época moderna: que métodos de estudo propor?

 

disparidades regionais e locais

- caracterização regional das diferenças; peso variável de transmissão de longa duração.

 


Accès privé